segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Nhoque

Faz tempo que não faço nhoque. A visita de um amigo me inspirou para retomar um prato de slow food que adoro fazer.


Para a massa: 2 kg de batatas asterix cozidas bem molinhas. Amasse com amassador de batatas ou garfo. Recomendo esperar a visita chegar para ajudar. É muito bacana não só cozinhar para alguém, mas para alguém, trazendo aquilo do coletivo e comunitário do ato de cozinhar. Pra quem tem coração aberto pra isso. Acrescentar sal a gosto e aos poucos farinha. Chega a ser quase um quilo. O ponto é não estar grudando fácil.





Para o molho: enquanto as batatas cozinham, eu recomendo deixar o molho pronto: uma cebola e dois tomates grandes picados. Refogar com um pouco de sal. Acrescentar duas latas de extrato de tomate a água aos poucos para diluir um pouco (talvez quase uma lata ao todo). Vai bem ervas da horta caseira, que recomento ter. Nós tínhamos alecrim. Coloquei um pouco. Ficou ótimo. Também acrescentei uma colher pequena de açúcar. Popularmente é dito que isso faz cortar a acidez do tomate. Cientificamente foi explicado que não é este o efeito. É outro. Esqueci qual é, mas é bom do mesmo jeito.

Para cozinhar, ferver água. Fazer uma "cobrinha" com a massa do nhoque. Cortar com um garfo. Furar com os dedos (para o molho "pegar" bem depois). Jogar as bolinhas na água fervendo. Quando as bolinhas de nhoque sobem, elas estão prontas. Tirar com uma escumadeira e reservar em uma travessa de vidro (ou de sua preferência de disponibilidade). Colocar o molho em cima. E queijo ralado.




Pronto!

Sorvete caseiro



Sorvete caseiro é mais barato e potencialmente mais natural e saudável que sorvete comprado. Então vamos lá: fiz duas receitas - uma de morango e uma de chocolate. 
Para a de morango eu usei: meia caixinha de leite condensado, meia caixinha de creme de leite, um pote de iogurte natural desnatada e uma caixa de morangos (após limpos, pois alguns estavam meio podres, de uns 150g). 

Para o de chocolate: meia caixinha de leite condensado, meia caixinha de creme de leite, 3 colheres de chocolate do frade, um garrafinha de leite de coco. 

Bate cada receita no liquidificador, põe em um pote e leva ao freezer por uma noite. Pronto. Tem sorvete caseiro numa textura bem parecida com o industrializado, mas na minha opinião melhor, mais leve a "autoral"!

sábado, 31 de outubro de 2015

Chips de batata doce

Faz tempo que quero fazer chips de batata doce. Então, resolvi fazer hoje, que estou empolgada e cozinhando um monte de coisas.

Fatiei uma batata doce com a casca mesmo, fatias de um 1 cm (podia ter sido um pouco mais grossa). Untei uma assadeira com margarina (capriche na margarina, senão gruda!) e assei por 15min cada lado. Não ficou como das fotos deste link aqui, mas ficou gostosinho.

Para servir, temperei com sal e pimenta do reino.


domingo, 24 de maio de 2015

Proteína de soja temperada.

Para usar proteína de sofa, deixá-la de molho por uma hora em água filtrada.

Refogar uma cebola roxa e shitake no azeite. Tirar. Grelhar as bolinhas de proteína de soja e acrescentar shoyu. Misturar as os dois. Servir com arroz.




Duas coisas para fazer com TOFU: salada oriental e grelhado com abóbora

Nesta salada usei: dois pepinos cortados em rodelas. Meia cenoura (média) ralada. Omelete de um ovo fino e fatiado. Um teco de gengibre picado. 250g de tofu picado em cubos. Uma colher de açúcar demerara, vinagre de arroz (ou qualquer vinagre branco) e shoyu à gosto.




O resto do tofu eu grelhei com abóbora japonesa grelhada também (depois de cozinhar brevemente na panela de pressão) e temperei com shoyu.

 

Mini torta de peixe

Para esta torta eu usei um file assada do St. Peter que eu tinha congelado outro dia. Assim, esta também é uma receita do não desperdício.

Para a massa eu usei dois ovos, 2/3 xícara de leite, 1/3 xícara de óleo+azeite, ervas finas, farinha branca até dar ponto de massa de torta de liquidificador, uma colher de fermento químico. Misturei tudo à mão.

Enquanto isso, o recheio de tomate, cebolinha e peixe desfiado aguarda.







Aí é só montar nas forminhas de muffin: Massa, receheio, massa.










E voilà!


Pizza Margheritta Vegana

Seguir e passar receitas para mim é muito difícil, pois o tempo e espaço lógicos quando cozinho estão inseridos no fazer em si e é difícil mesurá-lo de forma a facilitar sua reprodução exata. Mas, atendendo a pedidos, vou tentar passar esta receita. Mais ou menos:

Para a massa, a mesma quantidade de farinha de trigo integral e farinha de aveia. Creio que seja quase seguro dizer que no total dá 1,5kg de farinhas.

Isso, junte à uns 30g de fermento biológico em pó seco previamente ativado em 1,5 xícaras de água morna com uma colher de açucar. Sovar e sovar e deixar crescer. Sovar mais, abrir a massa. Esqueci de colocar azeite e sal na massa, mas iria bem.

Para o recheio, 500g de tofu amassado. Rodelas de tomate. Manjericão, gergelim preto e branco. Azeite, pimenta, sal à gosto.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Missoshiro

Fazia tempo que a Estela pedia para eu fazer um missoshiro para ela e eis então que eu fiz essa belezura...

de 1 a 2 litros de água - levar à fervura, colocar uma bandeja de shitake fatiado e deixar cozinhando. Quando estiver quase pronto, colcoar de 1/2 a 1 xícara de missô. Deixar cozinhando um pouco mais e quando estiver pronto acrescentar cebolinha, carne de soja já umedecida e cebolinha...ficou demais, o melhor de todos os tempo!


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Lasanha integral de brócolis com gorgonzola....

Então hoje resolvi não ir treinar e chegar em casa mais cedo para fazer jantar....

Usei massa para lasanha integral da Petygon, intercalei as camadas de massa (prontas para ir ao forno) com molho de tomate, brócolis, alho e gorgonzola. Simplesmente divino. Não há segredo para muitos detalhes da receita. Foi só uma boa ideia mesmo. Aqui vai a foto (acompanhou salada de repolho roxo).

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Bolinho de Cenoura

Apesar de cozinhar ser um "organizador mental" pra mim, fazia um tempo que eu não cozinhava além do necessário. É que tem de haver um estado mental "ótimo" para isso ocorrer; tem um limite do qual não se pode passar porque aí as energia são guardadas para não se perder a estribeira a la Relatos Selvagens (rs!).

Fazia um tempo que a Estela pedia para eu fazer bolo de cenoura para ela. Então, hoje, por alguma configuração estrelar específica, eu senti que precisava cozinhar!

Fizemos esta receita aqui do Edu Guedes. Eu mudei apenas algumas coisinhas:

Ao invés de 2 xícaras de açucar, usei 1 1/2 de açucar mascavo;
Ao invés de farinha comum, usei 1 xícara de farinha de aveia e 1 1/2 de farinha de trigo integral.
Ao invés de 4, 3 ovos.

Estela ajudou, claro!

 
 17 bolinhos que podem (e serão em parte congelados!)
Só 15 receberam calda. Não deu para todos!